Brasileira é chamada para mostrar Catar ao mundo

Jornalista vai apresentar a cultura, a beleza e as delícias da próxima sede da Copa do Mundo de 2022 em seus dois perfis no YouTube a convite do comitê organizador do evento.

Marcos Carrieri | Agência ANBA

São Paulo – A brasileira Renata Pereira vai apresentar ao mundo, em dois canais no YouTube, tudo o que o Catar tem para oferecer: seus pratos típicos, sua beleza natural, as transformações pelas quais está passando e a sua cultura. Jornalista, Renata foi convidada pelo Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2022, que vai ser realizada no país do Golfo, para mostrar o que o Catar poderá proporcionar aos visitantes muito além das quatro linhas do gramado. O perfil em inglês tem 178 mil seguidores. Já a versão em português conta com 35,2 mil assinantes.

“Nunca imaginei que os organizadores chegariam até mim”, conta Renata, que tem uma longa carreira no mundo dos vídeos e do esporte. Fluminense da cidade de Três Rios, Renata, de 40 anos, estudou jornalismo para realizar dois sonhos: viver fora do país, que ela realizou ao se mudar para Los Angeles ainda nos anos 2000, e trabalhar em uma Copa do Mundo. Na foto acima, Renata em uma das suas viagens, em Kuala Lumpur, capital da Malásia.

Entre diversas reportagens para redes de televisão brasileiras, ela teve sua primeira oportunidade no maior torneio de futebol do mundo em 2006, quando a Alemanha foi o país-sede. Foi contratada pela FIFA na organização de imprensa de eventos relacionados ao futebol. Ainda viriam completar o seu currículo a Copa de 2010, na África do Sul, e a de 2014, no Brasil. Para ajudar na organização da Copa no Brasil, ela e seu marido, Gordon, se mudaram para o Rio de Janeiro entre 2010 e 2014.

Depois do torneio no Brasil, Renata cumpriu uma promessa feita ao marido e o casal, então, retornou para os Estados Unidos. Los Angeles não seria mais seu endereço, mas, sim, Austin, a capital do Texas: “É uma cidade em transformação, que muda muito rápido, que cresce muito e onde estão muitas das principais empresas de tecnologia do mundo. Vimos que ali seria um lugar importante para que continuássemos com um trabalho de produção de conteúdo”, recorda. “Eu já tinha realizado o sonho da minha vida e queria agora uma nova meta”, recorda. Renata, então, abriu um canal no YouTube em 2015, porém não via no perfil da rede social uma forma de ganhar dinheiro.

“Acabava fazendo vídeos de viagem e fui contratada por isso”, diz, em referência a projetos com empresas e autoridades de turismo que a convidavam para promover seus destinos. Em 2018, Renata e Gordon decidiram viajar pelo mundo e produzir vídeos das viagens para o YouTube, algo que também acabou por render frutos para o casal. No destino, muitos países do sudeste asiático. Mas foi o material produzido em um jogo de futebol na Inglaterra que chamou a atenção dos organizadores da Copa do Catar. “Foi uma agência que trabalha para o Supreme Committee (comitê organizador) que encontrou nosso canal. Disseram que nos contataram porque também colocamos ali informações, a realidade do local. E há poucas pessoas que criam conteúdo de viagens com foco em esportes”, disse.

A partir do fim deste ano, ela começará a viajar para o Catar ao lado de Gordon. As datas ainda dependem de protocolos de segurança em razão da pandemia por covid-19. As viagens deverão ocorrer também no decorrer de 2021 e até o começo da Copa do Mundo, em novembro de 2022. Nestas idas para o Catar, Renata e o marido terão um “desafio”: vivenciar tudo o que o país oferece e contar sua experiência no YouTube.

“Quando entraram em contato comigo, em agosto, eu mal pude acreditar! Aí comecei a fazer pesquisas, vi potencial imenso de produzir vídeos de turismo, o que fazer entre os jogos. Já fiz algo parecido, por conta própria, na Copa da Rússia, em 2018. A partir daquela iniciativa, muitas pessoas me agradeceram por ajudá-las a conhecer a Rússia além de Moscou”, conta.

Renata ainda não conhece o Catar nem os países árabes. Conhece a Turquia, que, apesar de ficar no Oriente Médio, não é árabe. E conhece a cultura e costumes islâmicos a partir das suas viagens ao sudeste asiático, onde visitou países de população majoritariamente muçulmana, como a Indonésia e a Malásia. “Estou super animada porque será uma descoberta também para mim. O que mais me deixa curiosa é ver como eles misturam o moderno com o histórico e as novidades com as tradições”, conta Renata.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *